Desafios e soluções para as empresas de Life Science (Ciêncas da Vida), como organizações farmacêuticas, de dispositivos médicos e de biotecnologia.

O setor de Life Science (Ciências da Vida) é em grande parte impulsionado pela inovação e pelo crescimento. Por trás desses dois drivers há o mundo de complexidade do ciclo de vida do medicamento ou do dispositivo. É claro que as empresas que conseguem garantir a qualidade de forma contínua e colaborativa, atender à conformidade normativa e mitigar riscos em cada etapa do ciclo de vida têm uma vantagem competitiva. Mas o que é necessário para isso?

Conhecer e encarar os desafios é o primeiro passo na busca desta vantagem competitiva. Listo aqui os quatro desafios mais importantes que o setor enfrenta.

Desafios das empresas de Life Science

1. Eficiência

As organizações estão sob crescente pressão para simultaneamente aumentar a produtividade e reduzir o desperdício.

As empresas de Life Science operam em um mercado global competitivo, sendo intensificadas pelo vencimento de patentes, lançamentos de novos produtos, pressão de preços de genéricos e preocupação com o aumento dos gastos com saúde.

A modernização combinada com a transformação digital é um dos maiores desafios atualmente. É necessário um melhor uso de dados, análises e processos para impulsionar um ciclo contínuo de melhorias. Isso aprimora a capacidade de produção, aumenta a disponibilidade, reduz o tempo de inatividade, melhora os processos e a tomada de decisões e elimina o desperdício.

2. Flexibilidade

A estabilidade e o cumprimento das metas de produção não são mais suficientes. O tempo de comercialização é crítico e as empresas precisam reagir e se adaptar rapidamente.

A capacidade de responder rapidamente a oportunidades e desafios é agora um fator chave de sucesso em todas as áreas das atividades das empresas de Life Science.

Seja impulsionada pela dinâmica do mercado, pela estratégia da empresa ou pelas metas de curto prazo, a administração está exigindo maior flexibilidade das operações. É necessária uma abordagem ágil para atender às mudanças na produção (por exemplo, valor do produto, potência e volumes), implementar novas tecnologias, aumentar a precisão da entrega e reduzir o tempo de lançamento no mercado.

3. Qualidade

Os sistemas de qualidade precisam ser estabelecidos e gerenciados de uma maneira que atendam aos requisitos e fortaleçam as operações.

As empresas de Life Science operam dentro de um marco regulatório rigoroso, que está sujeito a constantes mudanças e é estritamente controlado por diferentes autoridades nacionais e regionais.

É um ambiente complexo, onde a segurança do paciente é fundamental. Os sistemas de qualidade precisam apoiar as diretrizes de boas práticas, garantir a conformidade com os regulamentos e facilitar as inspeções regulatórias. Ser bem-sucedido requer uma abordagem integrada e pragmática de gerenciamento de riscos que fortaleça as operações e otimize o uso de recursos.

4. Mudança

Cerca de 80% dos programas de mudança não atendem às expectativas. Garantir que a mudança ofereça valor sustentável é o principal desafio dos negócios de hoje.

Enfrentar o desafio combinado de eficiência, flexibilidade e qualidade requer mudanças de alguma forma. Implementar a mudança, no entanto, é apenas metade da batalha. Garantir os resultados de forma sustentável é o verdadeiro desafio.

A mudança quase nunca é uma jornada direta de A para B. A mudança orientada por valor requer uma viagem persistente e gradual ao longo de um caminho sinuoso. Uma abordagem integrada e flexível que combina pessoas, processos e tecnologia é indispensável para o sucesso.

Integração entre qualidade e manufatura

Quando se trata de tecnologia no setor de Life Science hoje, muitas empresas estão investindo em software de gestão da qualidade empresarial (EQM – Enterprise Quality Management). Eles permitem uma melhor visibilidade e colaboração entre cada área funcional que afeta o produto. Juntamente com problemas de qualidade estão os problemas de otimização da cadeia de suprimentos. Eles são naturalmente muito relevantes para o ambiente de fabricação, e também o uso da tecnologia de gestão de operações de manufatura (MOM – Manufacturing Operations Management). As soluções de software MOM ajudam a garantir consistência operacional enquanto rastreiam os detalhes da produção e fornecem insights sobre o desempenho.

Estamos percebendo que muitas das empresas de Life Science mais bem-sucedidas, dedicam muita atenção e investem forte na integração entre qualidade e manufatura – entre EQM e MOM.

Ao vincular o EQM ao MOM, informações adicionais de manufatura em processo são adicionadas a processos de qualidade em toda a empresa, sendo gerenciados pelo EQM. Isso permite uma gestão da qualidade mais rica e proativa.

Integrações coesas e comunicação clara entre os diversos setores de uma empresa fazem grande diferença no resultado final. Sabendo disto a SoftExpert elaborou um eBook especialmente para as empresas de Life Science, sejam elas organizações farmacêuticas, de dispositivos médicos e de biotecnologia. Leia o eBook e aprenda como transformar o panorama da indústria de ciências da vida e alcançar a excelência nos negócios.

Baixe o eBook agora!

Tobias Schroeder

Autor

Tobias Schroeder

Especialista em Gestão Estratégica pela UFPR. Analista de negócios e mercado na SoftExpert, fornecedora de software para automação e aprimoramento dos processos de negócio, conformidade regulamentar e governança corporativa.

Você também pode gostar:

Receba conteúdo gratuito em seu e-mail!

Assine nossa Newsletter e receba materiais sobre as melhores práticas em gestão produzidos por especialistas.

Ao clicar no botão abaixo, você confirma que leu e aceita nossa Política de Privacidade.

Por favor, preencha o formulário e fale conosco

Campo obrigatório
Campo obrigatório
Campo obrigatório
Por favor insira um número válido.
Campo obrigatório

Ao clicar no botão abaixo, você confirma que leu e aceita nossa Política de Privacidade