Desmistificando a Governança Corporativa para as PMEs

O ambiente corporativo é cada vez mais complexo: as organizações estão cada vez mais globalizadas e internacionais e a gestão está concentrada nas mãos de poucos indivíduos. Com isso, os riscos se tornam mais evidentes. É nesse contexto que surge a Governança Corporativa, que se oferece como uma ferramenta para regular e dar transparência para a gestão da organização. Mas, somente grandes organizações podem se beneficiar de um processo de governança corporativa?

A resposta é não. Qualquer empresa, seja ela pequena ou média, pode se beneficiar dos conceitos de governança para estruturar um processo de gestão integrando operação com estratégia.

De acordo com Eduardo Pardini, da CrossOver Consulting & Auditing, em seu artigo de mesmo nome deste post, governança é transparência, é equilíbrio, é o instrumento que fornece um balanceamento entre a estrutura de poder e a estrutura operacional da corporação.

Toda e qualquer organização necessita de um sistema de gestão, direção e monitoramento para sua operacionalidade. A partir do momento que conseguimos integrá-los de uma maneira eficiente e efetiva, já estamos assegurando que parte da governança exista. É importante salientar que este processo deve se adequar as necessidades e a complexidade de cada organização. Cada caso será um caso, não existe solução pronta. O que existe é a aplicação dos conceitos de governança para o ambiente de cada organização.

Vejamos então os pontos que Eduardo destaca como sendo requisitos mínimos para uma organização:

  • Um plano de negócio com definições de objetivos e metas estratégicas que irão nortear todas as ações dos gestores e/ou do empreendedor.
  • A definição de um organograma deixando claro e transparente a responsabilidade e autoridade de cada colaborador. É importante que existam metas para cada colaborador e que elas estejam íntimamente relacionadas com os objetivos formulados no plano de negócio.
  • Implantação de um sistema de monitoramento periódico para avaliação do processo de desempenho dos colaboradores no cumprimento de seus objetivos e/ou metas. Neste processo também é muito importante a medição do desempenho da empresa como um todo, principalmente de dois pontos principais: Geração de riqueza através do lucro e a geração de caixa operacional.

Vejam que não estamos falando da implantação de conselhos, comitês e auditoria, não que não seja positivo té-los na estrutura, mas devemos primeiro avaliar o seu custo e benefício dentro do tamanho da corporação e de sua composição de acionistas/quotistas.

Os resultados de um empreendimento que se utiliza de uma gestão com governança são nítidos quando observamos sua capacidade de acessar capital com maior facilidade para financiar seu crescimento. Segundo pesquisas, os investidores se sentem confortáveis em pagar um preço premium para empresas que demonstram ter uma gestão com governança.

As empresas precisam saber onde querem chegar, com objetivos claros e que fazem sentido no negócio. Também devem conhecer a dinâmica do setor e os riscos inerentes de sua operação. Por fim, devem almejar a qualidade e a excelência na gestão do negócio, assim ela estará assegurando sua perpetuidade e preservação do negócio.

Sugestões