Você conhece o método Kanban? Quer saber como aplicá-lo em sua área?

Kanban é uma metodologia de controle e gestão do fluxo de produção, pautada na utilização de cartões que indicam o andamento de um projeto. Também recebe o nome de gestão visual, em razão do uso de cores como sinalizadores e por ser extremamente visual e intuitivo.

Para saber mais sobre o Kanban, como este método pode ajudar a sua empresa ou em quais áreas ele pode ser utilizado, confira abaixo a entrevista com a especialista em Kanban, Ana G. Soares!

Ana-G.-Soares

 

Ana G. Soares é Consultora Kanban Certificada (AKC), Kanban Trainer Oficial (AKT), graduada em Ciência da Computação e mestranda em Administração na UDESC. Atua como Professora Universitária de pós-graduação de Métodos Ágeis em Santa Catarina e em Barcelona via EAD.

 
 
 

 1) Como surgiu o termo Kanban?

O método Kanban veio da Teoria das Restrições e do sistema Toyota de produção, lá eles usam o pensamento Lean (enxuto) para otimizar partes do processo, evitar estoques e desperdícios. Muitas pessoas conhecem apenas o Kanban de fábrica da Toyota, que utiliza cartões (verde, vermelho e amarelo) para gerenciar o estoque e tê-lo de forma enxuta. O David Anderson levou um tempo para adaptar estes modelos, entre 2002 e 2006, dentro da Microsoft.

2) Com foi o seu primeiro contato com o método?

Meu primeiro contato foi em 2012. Eu trabalhei remotamente por mais de um ano como gerente de projetos baseados em metodologias ágeis. Nossas equipes eram dos Estados Unidos, da Bolívia e Índia. Lembro que dois destes grupos trabalhavam em conjunto e toda a comunicação e o controle das demandas eram feitos por Kanban.

3) Como este método pode ajudar as empresas? Qualquer área pode utilizá-lo?

Qualquer área que aplica o trabalho do conhecimento pode utilizar. Além da TI, marketing, administrativo, contabilidade, vendas, RH, dentre outras. O trabalho do conhecimento é a antítese de uma atividade de produção repetitiva, o desenvolvimento de software é diferente da manufatura, pois quando chegamos em uma fábrica visualizamos todo o estoque que está lá. Quando entramos em uma área de tecnologia, por exemplo, nós não conseguimos enxergar a produção. Somente com o Kanban na parede ou em uma TV é possível visualizar tudo o que as pessoas estão produzindo e, consequentemente, conseguimos ver quanto tempo leva essa produção intelectual.

4) Quais os benefícios de se utilizar o Kanban?

Quando você utiliza o Kanban, além de melhorar a comunicação entre a equipe, a liderança e o cliente, é possível visualizar todo o estoque que estava somente na cabeça das pessoas ou no computador. O time entende a importância de criar um pedaço do sistema e disponibilizar para o cliente o mais rápido possível para ter feedback do que está sendo feito, se está no caminho correto e atendendo às expectativas dele e do mercado.

5) Como os métodos ágeis se relacionam com os tradicionais? (Ex.: Gestão de Projetos, Gestão de Processos)

Um dos métodos tradicionais mais conhecido por mim é o PMI, que foi fundado em 1969 para identificar inicialmente práticas de gerência comuns nos projetos por meio das indústrias. Neste modelo de chão de fábrica, as pessoas precisam ser especialistas na sua área e fazer somente o que foi designado a elas, não existe entrega em etapas. No desenvolvimento de software, por exemplo, às vezes um projeto levava no mínimo um ano para ser entregue por completo. Como consequência, as necessidades do mercado e do cliente já tinham mudado e todos os lados ficavam insatisfeitos.

Por conta da revolução industrial, o nosso modelo educacional segue ainda da mesma forma, aos 18 anos você precisa escolher uma área da faculdade e depois se especializar em algo. Muitos de nós nos tornamos especialistas em algo e com a chegada das “fábricas de software” estes métodos foram copiados para dentro das empresas de tecnologia.

No Kanban precisamos de pessoas mais generalistas para poder atuar em toda a cadeia de produção e principalmente nos gargalos (aonde o trabalho encontra-se acumulado).

O método ágil ficou conhecido em 2001 por meio de um encontro de 17 pessoas que trabalhavam de formas diferentes, porém eles tinham os mesmos fundamentos (filosofia de trabalho), e decidiram escrever uma espécie de grito de guerra para os novos processos de desenvolvimento de software. Os valores do Manifesto Ágil são:

– Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas;

– Software em funcionamento mais que documentação abrangente;

– Colaboração do cliente mais que negociação de contratos;

– Responder a mudanças mais que seguir um plano.

fonte: https://agilemanifesto.org

6) Quais são os principais desafios para quem está iniciando com o Kanban? Você poderia sugerir algumas estratégias para quem quer implantar o sistema em uma área?

O principal desafio é começar. Todo mundo quer a mudança, mas ninguém quer mudar. Apenas comece. Materialize as fases do processo do seu time em um papel de rascunho, mostre para as pessoas da equipe e pergunte o que elas acham. Não imponha a mudança, quando você constrói algo em conjunto facilita o engajamento. Cada Kanban é único, tenha um momento com o time para refletir e implementar a melhoria contínua do trabalho.

7) Quais as tendências para os próximos anos em termos de metodologias ágeis?

O Kanban está ganhando mais força nas equipes que já estão usando o framework Scrum e se deparam com cerimônias e regras que já não servem mais para eles quando atingem um certo grau de maturidade. O Kanban é menos prescritivo e mais customizável.

Business Agillity também é uma palavra que tomou força por meio do Gartner, que todos os anos divulga tendências. Porém, o core das metodologias ágeis sempre foi pessoas e negócios. É necessário ter muito cuidado com as buzzwords do mercado, pois para quem conhece as origens, algumas coisas não são novidades e sim apenas um novo termo trazido pelo mercado, seja por conta de novas certificações ou dos novos livros.

Outro tema que tem sido um paradoxo é os diferentes tipos de métodos ágeis em Escala, ao mesmo tempo em que a escala significa adicionar complexidade, por ser mais prescritivo (com mais regras), talvez não seja mais ágil. Em paralelo a isso, tendências com foco nas pessoas vêm ganhando força, como o Management 3.0 do Jurgen Appelo.

Agora que você sabe tudo sobre Kanban, não perca mais tempo, aproveite as nossas dicas e comece aplicá-lo em seu negócio!

Se você está interessado em garantir agilidade para sua equipe sem perder o controle das atividades, conheça o SoftExpert Kanban! Os especialistas da SoftExpert estão preparados para entender suas necessidades e propor a melhor forma de implementar a ferramenta!

Quero conhecer o SoftExpert Kanban
Juliana Silva

Autor

Juliana Silva

Assistente de Comunicação da SoftExpert, Juliana Silva é formada em Jornalismo com cinco anos de atuação nas áreas de Assessoria de Imprensa e Comunicação Corporativa.

Você também pode gostar:

Receba conteúdo gratuito em seu e-mail!

Assine nossa Newsletter e receba materiais sobre as melhores práticas em gestão produzidos por especialistas.

Ao clicar no botão abaixo, você confirma que leu e aceita nossa Política de Privacidade.