Independentemente da fase de evolução da sua empresa, planejar o futuro é essencial. O planejamento ajuda a estar preparado contra situações adversas e a projetar ações para o desenvolvimento da empresa. Neste artigo vamos apresentar uma das ferramentas mais úteis para o planejamento organizacional: a análise SWOT.

O que é análise SWOT

O nome vem do acrônimo em inglês das palavras:

    • Strengths (forças)
    • Weakenesses (fraquezas)
    • Opportunities (oportunidades) e
    • Threats (ameaças)

A análise SWOT é uma ferramenta usada frequentemente como parte do planejamento estratégico e serve para a avaliação do ambiente da empresa (interno) e aquele no qual está inserida (externo). Devem ser relacionados todos os fatores que influenciam no desempenho do negócio, desde condições macroeconômicas até elementos internos como disponibilidade de recursos e satisfação dos colabores.

A análise SWOT é disposta em forma de matriz para facilitar a análise e as inferências sobre os fatores identificados.

SWOT analysis
SWOT analysis

Ambiente interno

É composto por tudo aquilo sobre o qual a empresa tem controle e pode agir para alterar. É neste contexto que são identificadas as forças e fraquezas da organização. Mas não limite a análise ao que está dentro das “paredes” da empresa. É preciso entender esses fatores de forma abrangente. O registro de um produto, por exemplo, não é feito dentro da empresa, mas você tem controle sobre ele.

Assim, tudo aquilo sobre o qual a empresa pode intervir compõe o seu ambiente interno: suas instalações, políticas internas, frota de veículos, clientes, precificação de produtos e serviços, disponibilidade de capital etc.

  • Forças

São as vantagens competitivas da organização frente à sua concorrência e devem ser exploradas para tirar o melhor proveito delas. Podemos citar alguns exemplos: localização próxima a um porto pode ser considerada uma força para uma empresa que exporta grande parte de sua produção. Da mesma forma, um comércio varejista ou um banco podem usar a seu favor uma marca forte.

  • Fraquezas

Neste grupo de elementos estão as deficiências da empresa em relação a seus competidores. Para as fraquezas devem ser planejadas ações que as minimizem ou eliminem. Aqui podemos relacionar coisas como maquinário desatualizado, força de trabalho pouco qualificada, localização geográfica desfavorável. Veja que todos são elementos sobre os quais a empresa pode atuar, mesmo que a dificuldade ou o custo sejam altos.

Ambiente externo

Reúne os fatores favoráveis à organização (oportunidades) e aqueles que são desfavoráveis (ameaças). Em oposição ao que ocorre no ambiente interno, a empresa não tem controle sobre esses elementos. Eles ocorrerão e estarão presentes independentemente da vontade e ações que a empresa tome. De qualquer forma, é possível estabelecer estratégias para tirar proveito das oportunidades e defesas contra as ameaças.

  • Oportunidades

São eventos e situações temporárias ou permanentes que são favoráveis ao desempenho da empresa. Novamente imagine uma empresa que exporta grande parte de sua produção. Um câmbio favorável representa uma oportunidade significativa para ela. Da mesma forma, hotéis são favorecidos com a realização de eventos de grande porte na cidade ou região em que estão localizados.

  • Ameaças

De forma oposta, os eventos ou condições que prejudicam os negócios devem ser relacionados como ameaças. Usando novamente o exemplo da empresa exportadora, escassez de contêineres certamente prejudicará suas operações e deve-se tentar encontrar formas de minimizá-las.

Explorando a matriz SWOT: Análise Cruzada

Depois que foram levantados todos os elementos do ambiente interno e externo relevantes para o desempenho da empresa, é hora de estabelecer relações entre eles. Algumas relações possíveis e as estratégias correspondentes são as seguintes:

Estratégia de Confronto

Forças x ameaças: encontre os pontos fortes de sua empresa que podem ser utilizados para amenizar ou neutralizar cada ameaça.

Estratégia de Ataque

Forças + oportunidades: use os pontos fortes da empresa para explorar ao máximo as oportunidades existentes. Tente descobrir como suas forças podem potencializar as oportunidades identificadas.

Estratégia de blindagem

Fraquezas + oportunidades: procure encontrar formas de usar as oportunidades para minimizar uma fraqueza de sua empresa. Por exemplo, uma oferta crescente de empresas de logística pode minimizar a desvantagem de uma localização geográfica desfavorável.

Estratégia de proteção

Fraquezas x ameaças: crie planos de contenção que impeçam que uma fraqueza potencialize a ocorrência de uma ameaça. Imagine uma empresa cuja fraqueza seja a baixa capilaridade de distribuição e a ameaça seja o crescimento de concorrentes mais bem estruturados. Pode-se adotar uma estratégia de uso de distribuidores para evitar que a fraqueza concretize a ameaça.

Percebeu como a análise SWOT é importante? Aproveite e veja como o SoftExpert Desempenho pode ajudá-lo a fazer uma análise de ambiente completa e totalmente integrada aos indicadores e planos de ação do seu planejamento estratégico.

Laurides Dozol

Autor

Laurides Dozol

Especialista em Gestão Empresarial pela FGV. Analista de negócios e mercado na SoftExpert, fornecedora de softwares e serviços para automação e aprimoramento dos processos de negócio, conformidade regulamentar e governança corporativa.

Você também pode gostar:

Receba conteúdo gratuito em seu e-mail!

Assine nossa Newsletter e receba materiais sobre as melhores práticas em gestão produzidos por especialistas.

Ao clicar no botão abaixo, você confirma que leu e aceita nossa Política de Privacidade.