IFRS e GRI: um acordo que só traz benefícios no contexto ESG

Em um outro artigo aqui no blog publicado recentemente eu escrevi sobre o quão importante são os frameworks na definição de métricas ESG – Environmental, Social and Governance –  e na padronização dos relatórios de sustentabilidade. Usar uma estrutura ESG específica ajuda as empresas a orientarem seus processos de relatório, mostrando para onde olhar, o que medir e como comunicá-lo.

Hoje há um grande número de estruturas ESG disponível, o que torna essa pauta um dos principais problemas dentro do universo de sustentabilidade – Falta de padronização. Embora muitas vezes se complementem, a necessidade de atender às necessidades de relatórios de vários padrões criou um transtorno para as empresas e para os investidores que precisam interpretar dados derivados de diferentes fontes e metodologias.

Global Reporting Initiative (GRI)

O GRI foi o primeiro framework criado e é o mais utilizado no mundo. Inicialmente, seus objetivos eram fornecer às empresas indicadores de práticas ambientais responsáveis. Posteriormente, as métricas foram expandidas para incluir direitos humanos, governança e bem-estar social.

Neste mesmo artigo relatei que, segundo a pesquisa KPMG de relatórios de sustentabilidade 2020, os padrões GRI são utilizados por cerca de três quartos (73%) do G250 – 250 maiores empresas do mundo – e por dois terços (67%) do N100 – 100 maiores empresas de 52 países diferentes totalizando 5200 organizações.

International Financial Reporting Standards (IFRS)

A Fundação IFRS é uma organização sem fins lucrativos criada para desenvolver um único conjunto de padrões de divulgação contábil e de sustentabilidade, sendo eles compreensíveis, facilmente praticáveis e globalmente aceitos.

Esses padrões, conhecidos por “padrões IFRS” ou IFRS Standards, são desenvolvidos por dois conselhos normativos, o International Accounting Standards Board (IASB), que  define as Normas de Contabilidade IFRS, e o recém-criado International Sustainability Standards Board (ISSB), que define as Normas de Divulgação de Sustentabilidade das IFRS.

Em setembro de 2020, o IFRS Foundation emitiu um documento de consulta pública no qual discute sua possível contribuição com a emissão de normas de relatórios de sustentabilidade, visando prover maior transparência, padronização, comparabilidade e menos complexidade nas informações divulgadas pelas empresas.

eBook ESG

Alinhamento entre estruturas

Várias iniciativas têm sido criadas para desenvolver uma estrutura que capture os melhores elementos de estruturas ESG já existentes, o que nos dá esperança de um cenário mais padronizado no futuro.

A colaboração entre estruturas demonstra um compromisso compartilhado com o alinhamento global dos requisitos de divulgação. Essa consolidação de informações permite relatórios consistentes por parte das empresas, o que aumenta a responsabilidade e impulsiona práticas comerciais responsáveis.

No dia 24 de março, a fundação IFRS e o GRI anunciaram um novo acordo para alinhar seus padrões de mercado de capitais e multissetoriais para divulgação de sustentabilidade. Com o acordo de colaboração, ambas as organizações vão juntar esforços na definição de um novo conjunto de normas, o que inclui também a junção de seus órgãos consultivos relacionados às atividades de relatórios de sustentabilidade.

“O acordo reflete a importância de garantir a compatibilidade e interconectividade de informações básicas de sustentabilidade focadas no investidor que atendam às necessidades dos mercados de capitais, com informações destinadas a atender às necessidades de uma gama mais ampla de partes interessadas.” – disseram as organizações no material enviado à imprensa.

Essa é mais uma boa notícia tanto para as organizações quanto para seus stakeholdes que buscam um padrão para reportar e comparar índices de sustentabilidade, favorecendo cada vez mais a transparência.

Você se interessou em aprender mais sobre ESG depois de ler este artigo? Então convido você a conhecer outros conteúdos que nós já elaboramos sobre este assunto aqui no blog!

Camilla Christino

Autor

Camilla Christino

Camilla Christino é Analista de Negócios da SoftExpert, formou-se em Engenharia de Alimentos no Instituto Mauá de Tecnologia. Detém sólida experiência na área de qualidade em indústrias de alimentos com foco em acompanhamento e adequações de processos de auditorias interna e externa,documentação do sistema de gestão da qualidade (ISO 9001, FSSC 22000, ISO/IEC 17025), Controle da Qualidade, Assuntos Regulatórios, BPF, APPCC e Food Chemical Codex (FCC). Ela também é certificada como auditora líder na norma ISO 9001:2015.

Você também pode gostar:

Receba conteúdo gratuito em seu e-mail!

Assine nossa Newsletter e receba materiais sobre as melhores práticas em gestão produzidos por especialistas.

Ao clicar no botão abaixo, você confirma que leu e aceita nossa Política de Privacidade.