Estender a vida útil de máquinas e equipamentos é um fator de competitividade. Quando se trata da gestão do ciclo de vida dos ativos, a etapa de manutenção é fundamental para alcançar este objetivo. Ela permite que as empresas otimizem o uso dos recursos disponíveis e evitem investimentos desnecessários.

O surgimento de outras demandas organizacionais prioritárias, que muitas vezes disputam o mesmo orçamento, acaba prolongando os intervalos de manutenção. Em situações mais extremas, a manutenção preventiva até deixa de ser realizada. Com isso a máquina sofre um desgaste acentuado, os custos de reparo são maiores e o equipamento tem sua vida útil abreviada.

Embora o setor de manutenção não seja uma fonte de receitas, ele é responsável por manter o parque fabril operando. Equipamentos em condições de uso, permitem que cláusulas contratuais sejam cumpridas. Isso pode ser determinante para fidelização do cliente e conquista de novos contratos, ou para que ele perca o interesse em fazer negócios com sua empresa.

Por isso preparamos este artigo, apresentando 7 estratégias que você colocar em prática para otimizar o desempenho de máquinas e equipamentos, prolongar sua vida útil e fazer sua empresa economizar dinheiro:

1. Construa relacionamentos

Uma área de manutenção que atua isolada, geralmente não atende as expectativas do negócio de maneira satisfatória. O primeiro passo é construir e cultivar bom relacionamento com as demais áreas da organização e também com os níveis superiores da gestão. Além disso, as práticas de manutenção devem estar totalmente alinhadas com os objetivos de organização. Sem apoio, fica difícil pensar em implementar melhorias na gestão da manutenção, e principalmente, conseguir os recursos necessários para implementá-las.

2. Qualifique a mão de obra

Muitas empresas operam 24hs por dia. Com as mudanças de turno, mudam também os operadores das máquinas. É importante que todos sejam capacitados, para que conheçam o procedimento operacional e utilizem o equipamento corretamente. Os treinamentos devem fazer parte da rotina, principalmente quando há grande rotatividade de colaboradores.

Para facilitar, a empresa pode disponibilizar aos operadores, cópias de manuais ou dos procedimentos. É importante que o texto seja redigido com linguagem simples, para que todos possam entender. Ao final, podem ser realizados testes ou avaliações, para garantir que o conhecimento repassado foi absorvido. Essas práticas ajudam a evitar paradas de máquina desnecessárias e incidentes de trabalho, que podem gerar multas e punições, que a empresa poderia ter evitado.

3. Elabore um plano de manutenção sob medida para máquinas e equipamentos

É importante conhecer a condição de uso de cada tipo de equipamento, pois isso orienta sobre como elaborar um plano de manutenção. Se um equipamento é utilizado durante poucas horas por dia, a manutenção pode ocorrer em intervalos de tempo maiores, afinal o equipamento não sofre tanto desgaste. Já se o equipamento é utilizado de maneira intensiva, este intervalo precisa ser menor. Além disso, o plano deve considerar os períodos em que o equipamento está em uso. O planejamento antecipado permite que as manutenções sejam realizadas enquanto o equipamento está inativo, sem prejudicar a produção e as operações de rotina.

Como aprimorar a gestão de ativos em sua empresa

4. Realize inspeções preventivas

Mesmo que um equipamento seja utilizado de maneira correta, as condições de uso podem acelerar o desgaste e contribuir com a quebra. Isso envolve vibrações, atritos, mudanças bruscas de temperatura, entre outros. Correias desalinhas, engrenagens mal reguladas podem gerar vibrações. A falta de lubrificação pode causar atritos, fazendo o equipamento operar acima da temperatura ideal. Realizar inspeções é importante para ajudar a identificar esses casos. Se houver necessidade, uma peça pode ser substituída pontualmente, antes de causar problemas maiores e elevar o valor do reparo.

5. Considere o ambiente de uso

Outra questão que precisa ser considerada, é quanto ao ambiente onde o equipamento está instalado. Locais com presença de poeira por exemplo, podem acelerar o desgaste.

Alguns segmentos, por natureza são mais complexos e não toleram falhas. Equipamentos médicos e hospitalares, podem comprometer a saúde e segurança dos pacientes. Por isso, podem exigir planos de manutenção especiais.

6. Defina responsáveis

O plano de manutenção deve identificar quem serão os responsáveis pelas atividades de manutenção em cada tipo de equipamento. O gerente de manutenção pode definir estas responsabilidades e deve cobrar evidências de que a atividade foi executada. Não definir responsabilidades, pode fazer com que o plano seja esquecido e as atividades não sejam executadas. Essa negligência pode resultar em não-conformidades, produtos com defeito e reclamações de cliente.

7. Implemente um software para gestão da manutenção

O apoio de um software para gerenciar a manutenção também ajuda a prolongar a vida útil das maquinas e equipamentos. Este tipo de ferramenta ajuda a melhorar a eficiência de maneira geral, simplificando o planejamento das atividades, alertando os responsáveis e organizando o estoque de insumos para atender as demandas de manutenção. Desta forma as empresas podem evitar falhas, contar com equipamentos mais confiáveis e promover a melhoria contínua.

Se você gostou de conhecer estas estratégias, convido a conhecer outros conteúdos sobre Gestão de Ativos que nós já elaboramos!

Gustavo Moreira

Autor

Gustavo Moreira

Product Owner da solução de EAM na SoftExpert. Com MBA em Governança em TIC pela Sustentare - Escola de Negócios.

Você também pode gostar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba conteúdo gratuito em seu e-mail!

Assine nossa Newsletter e receba materiais sobre as melhores práticas em gestão produzidos por especialistas.

Ao clicar no botão abaixo, você confirma que leu e aceita nossa Política de Privacidade.